for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Com hospitais "próximos do colapso", médicos de Bogotá pedem quarentena na cidade

Homem tem material colhido para teste de Covid-19 em um dos bairros de Bogotá com quarentena mais restrita 14/07/2020 REUTERS/Luisa Gonzalez

BOGOTÁ (Reuters) - Médicos em Bogotá pedem o retorno de uma quarentena na capital colombiana para diminuir as infecções por coronavírus, alertando que serviços médicos estão perto do colapso, afirmou um importante médico local nesta quinta-feira.

O país andino reportou mais de 165 mil casos do coronavírus e cerca de 6 mil mortes. Bogotá representa mais de um terço do número total de casos do país, e mais de 20% das mortes.

“Estamos em situação crítica”, disse o presidente da Faculdade de Medicina de Bogotá, Herman Bayona, à Reuters. “Estamos próximos do colapso.”

O presidente colombiano, Iván Duque, declarou quarentena para desacelerar a propagação da doença no final de março.

A medida deve acabar no dia 1º de Agosto, com alguns setores da economia e partes do país já em reabertura.

Nesta semana a capital começou a impor quarentenas rígidas em rodízio por bairro, algo que Bayona classifica como ineficiente.

“Não acreditamos que quarentenas por região tenham o poder de desacelerar a velocidade das infecções”, disse.

Bayona disse que várias associações médicas se encontraram com líderes políticos em Bogotá para defender o retorno de uma quarentena rígida em toda cidade.

As unidades de tratamento intensivo (UTIs) de Bogotá estavam com quase 90% da capacidade ocupada na noite da última quarta-feira, de acordo com dados do governo. A prefeita Claudia López visitou um hospital público na quinta-feira e disse que entre 20 e 30 novos ventiladores chegarão diariamente para aumentar a capacidade dos leitos.

Reportagem adicional de Julia Symmes Cobb

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up