for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Protestos eclodem em Michigan após estudante ser presa por não fazer trabalhos de escola online

Estudantes protestam por prisão de colega em Pontiac, Michigan 16/07/2020 REUTERS/Emily Elconin

PONTIAC, Michigan (Reuters) - Centenas de estudantes da região de Detroit, no Estado norte-americano de Michigan, participaram de protestos em suas escolas de ensino médio pedindo a soltura de uma colega de classe que está detida em reformatório juvenil após não ter completado trabalhos escolares durante as aulas à distância no último semestre.

A estudante de 15 anos, chamada de Grace na reportagem original da ProPublica que descreveu sua situação, estava em liberdade condicional por ter brigado com sua mãe e roubado. A ProPublica reportou que Grace, que tinha Transtorno de Déficit de Atenção, ficava facilmente distraída quando estudava em casa e ficou para trás no ensino à distância.

Um juiz de um tribunal de Michigan determinou a detenção de Grace em maio, citando o trabalho escolar como uma violação da liberdade condicional.

Na tarde de quinta-feira, manifestantes se reuniram no Colégio Groves, no subúrbio de Beverley Hills, antes de se dirigirem até tribunal do condado de Oakland County e a promotoria regional com faixas pedindo “Liberdade para Grace”.

Estudantes na manifestação disseram à Reuters que o desempenho acadêmico de Grace não era exceção enquanto o país lida com a pandemia de coronavírus.

“Muitas pessoas ficaram para trás em trabalhos neste semestre, ninguém teve motivação para fazer nada pois os professores não estava ensinando e estávamos todos online. Eu conheço tanta gente que não fez o dever de casa”, disse Prudence Carter, 18, que está se formando no ensino médio.

“Não parece que o juiz ou quem trabalha no caso saiba como funcionam os prazos e notas e como as coisas estão estruturadas durante o fechamento por causa da pandemia”, disse Geoff Wickersham, um professor de estudos sociais da escola à Reuters no protesto. “Eu acho isso uma injustiça gigantesca.”

Reportagem de Julio-Cesar Chavez em Washington e Emily Elconin em Michigan

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up