for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Moderna e Merck Sharp & Dohme dizem que pretendem lucrar com vacinas contra coronavírus

12/07/2018 REUTERS/Brendan McDermid

(Reenvia texto publicado no dia 21/7 para esclarecer que fora dos EUA a Merck & Co é conhecida como Merck Sharp & Dohme)

(Reuters) - A Moderna Inc e a Merck & Co, conhecida como Merck Sharp & Dohme (MSD) fora dos Estados Unidos, disseram a uma comissão do Congresso norte-americano nesta terça-feira que esperam lucrar com suas vacinas contra o coronavírus assim que elas forem aprovadas em meio aos temores de que não sejam acessíveis a todos.

“Não venderemos nossa vacina a preço de custo, embora seja prematuro para nós, já que estamos longe de entender a base de custo”, disse Julie Gerberding, chefe da área de pacientes da Merck & Co dos EUA, ao subcomitê de Supervisão e Investigações da Câmara dos Deputados, em uma audiência virtual. A empresa ainda não iniciou os testes de sua vacina experimental em humanos, o que a deixa atrás das principais candidatas.

Executivos da Johnson & Johnson e da AstraZenecaPlc disseram em depoimentos que venderão suas respectivas vacinas em potencial sem margem de lucro durante a pandemia.

Gerberding e um representante da Moderna não comentaram o preço que têm em mente para suas vacinas na audiência, que se concentrou nos esforços para desenvolver uma vacina segura, eficiente e amplamente acessível contra a Covid-19, que já causou a morte de 600 mil pessoas.

A Pfizer Inc tem dito que a empresa pretende lucrar com sua possível vacina contra coronavírus se esta for aprovada.

Mas o executivo-chefe da farmacêutica, John Young, disse em um depoimento: “Reconhecemos que esta é uma época extraordinária, e nosso preço refletirá isso.”

Ao contrário das rivais Moderna e AstraZeneca, a Pfizer não recebeu financiamento norte-americano para o desenvolvimento de sua vacina.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up