for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Braços-direito de Trump ventilam aprovação de lei fragmentada de auxílio contra o coronavírus

WASHINGTON (Reuters) - Os principais assessores do presidente Donald Trump levantaram neste domingo a possibilidade de o Congresso aprovar uma lei fragmentada de auxílio contra o coronavírus - uma abordagem a qual os democratas se opõem - com um prazo próximo para a expiração dos auxílios-desemprego estendidos.

Um dia antes dos republicanos do Senado introduzirem um projeto de alívio de US$ 1 trilhão contra o coronavírus que inclui auxílios-desemprego reduzidos, o secretário do Tesouro dos EUA, Steve Mnuchin, disse acreditar que o partido pode trabalhar rapidamente com os democratas para aprovar a legislação.

Mnuchin e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, apresentaram a idéia de o Congresso aprovar um projeto de lei com foco em itens como os auxílios-desemprego que expiram na sexta-feira, deixando outras questões para serem resolvidas mais tarde.

Líderes do Senado, controlados pelos colegas republicanos de Trump, e funcionários da Casa Branca estavam se esforçando para estabelecer um acordo sobre a proposta de ajuda, que teve percalços depois que o líder da maioria Mitch McConnell anunciou planos para introduzir a medida na semana passada.

A Câmara dos Deputados, controlada pelos democratas, aprovou uma lei de alívio de US$ 3 trilhões contra o coronavírus em maio. A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi, a principal democrata do Congresso, criticou os republicanos por não conseguirem chegar a um acordo enquanto os americanos estão “esgotados” e passando fome.

“Eles não estão organizados e esse atraso está causando sofrimento às famílias americanas”, disse Pelosi ao programa “Face the Nation” da CBS.

Pelosi aguarda a proposta republicana para que as negociações por um projeto final a ser aprovado pelo Congresso possam começar.

“Estamos prontos há dois meses e dez dias. Estive aqui o fim de semana inteiro esperando que eles tivessem algo a nos oferecer”, disse Pelosi.

As questões mais urgentes são a renovação dos seguros-desemprego estendidos - atualmente US$ 600 por semana - e as proteções de responsabilidade contra ações judiciais relacionadas ao coronavírus, como litígios contra escolas e universidades, disse Mnuchin.

Se os legisladores concordarem com essas duas questões, segundo Mark Meadows, poderão debater o restante da lei de ajuda nas próximas semanas.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up