for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Corpo de ícone dos direitos civis John Lewis atravessa ponte no Alabama pela última vez

SELMA, Alabama (Reuters) - O corpo do ícone do ativismo pelos direitos civis John Lewis atravessou a ponte Edmund Pettus neste domingo, décadas depois de seu espancamento no “Domingo Sangrento” que chamou atenção de todo o país para a luta pela igualdade racial.

O caixão de Lewis foi carregado com honras militares e coberto com a bandeira americana, levado desde a Capela Marrom da Igreja Africana Metodista Episcopal por uma carruagem puxada a cavalo, e atravessando a mesma ponte, cheia de pétalas de rosa, onde o espancamento do ativista negro por um policial estadual branco durante uma manifestação pelos direitos a voto em 1965 se tornou um ponto focal do movimento. O motorista da carruagem usava cartola preta e uma máscara branca para se proteger da propagação do coronavírus.

Centenas de pessoas cantando hinos dos direitos civis assistiram ao evento “The Final Crossing” (“A Última Travessia”). O ato foi parte de um calendário de várias celebrações pela vida do congressista, cujo corpo descansará no Capitólio dos EUA em Washington, D.C., a partir da segunda-feira.

Depois que seu caixão atravessou a ponte, ele foi saudado por soldados negros e brancos do estado do Alabama.

Lewis, que morreu em 17 de julho aos 80 anos após uma batalha contra o câncer de pâncreas, era um feroz defensor dos protestos não-violentos e foi inspirado pelo gigante dos direitos civis Martin Luther King Jr.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up