for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Reino Unido monitora França e Alemanha depois de impor quarentena de coronavírus à Espanha

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido está acompanhando atentamente os aumentos de casos de coronavírus em outros destinos europeus, como França e Alemanha, desde que impôs uma quarentena de 14 dias a viajantes da Espanha no auge da temporada de férias de verão.

Passageiros com máscaras de proteção no aeroporto de Birmingham, no Reino Unido 27/07/2020 REUTERS/Phil Noble

A imposição da quarentena é um dos indicadores mais contundentes até o momento de que a Europa pode enfrentar uma segunda onda de transtorno econômico enquanto governos correm para conter um aumento de casos do Mediterrâneo ao Mar do Norte.

As ações de empresas aéreas e agências de viagens --já abaladas pelos isolamentos do coronavírus-- despencaram, e a Espanha apelou ao Reino Unido para excluir as Ilhas Baleares e Canárias da quarentena.

Segundo o jornal The Sun, o Reino Unido retirará a obrigatoriedade de quarentena para os britânicos que retornam dessas duas ilhas.

A decisão de Londres, vazada antes do anúncio oficial de sábado, prejudica os planos de centenas de milhares de turistas britânicos e criou a perspectiva de uma imposição de limites a mais países.

“Temos que manter a situação sob análise, e acho que é isso que o público esperaria que fizéssemos”, disse a ministra britânica da Saúde, Helen Whately, ao canal Sky News quando indagada sobre a possibilidade de Alemanha e França serem as próximas sujeitadas a quarentenas.

“Se virmos as taxas subindo em um país onde no momento não existe necessidade de quarentena..., teríamos que agir, porque não podemos correr o risco de o coronavírus ser disseminado novamente no Reino Unido”, explicou.

Na Europa, a Rússia relatou 40.762 casos novos na última semana, a Espanha relatou 12.166, a França 5.858, o Reino Unido 4.662 e a Alemanha 3.932, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

Agora que o coronavírus está semeando ainda mais caos econômico, uma segunda onda de restrições de viagens poderia destruir partes do setor turístico europeu.

Alemanha, França e Reino Unido são, de longe, as nações europeias que mais gastam com turismo, e há 9.835 voos agendados para partir do Reino Unido para a Espanha entre os dias 26 de julho e 31 de agosto.

As ações de empresas aéreas e agências de viagens despencaram.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up