for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Coreia do Norte acelera prevenção contra coronavírus após 1ª possível infecção

Líder norte-coreano, Kim Jong Un, em Pyongyang 27/07/2020 KCNA via REUTERS

SEUL (Reuters) - A Coreia do Norte adotou medidas de prevenção contra o coronavírus mais duras nesta terça-feira, noticiou a mídia estatal, depois de isolar a cidade fronteiriça de Kaesong para lidar com o que pode ser seu primeiro caso publicamente confirmado da doença respiratória.

Medidas rígidas de quarentena e a verificação de distritos estão sendo impostas, e conjuntos de exames, trajes de proteção e equipamento médico estão sendo providenciados rapidamente, disse a agência estatal de notícias KCNA.

As ações vieram depois que o líder norte-coreano, Kim Jong Un, declarou uma emergência no domingo porque uma pessoa supostamente infectada com o vírus voltou da Coreia do Sul.

Até o dia 16 de julho, a Coreia do Norte havia relatado ter examinado 1.211 pessoas, todas elas com resultados negativos, disse a Organização Mundial da Saúde (OMS) em um comunicado enviado à Reuters na segunda-feira. O documento disse que 696 cidadãos estão em quarentena.

Manuais e sondas para máquinas capazes de facilitar mil exames chegaram à Coreia do Norte, disse a OMS. Há 15 laboratórios designados para fazer exames de Covid-19 no país.

A Coreia do Norte tem um sistema de saúde limitado, seus hospitais carecem de eletricidade, remédios e água e a nação depende da OMS há tempos para obter medicamentos, já que as sanções de que é alvo dificultam as importações.

Nos últimos meses, o país recebeu conjuntos de exames e equipamento de proteção da OMS e de países como a Rússia, mas parte do material ficou retido na fronteira por causa das próprias restrições norte-coreanas.

Por Sangmi Cha; reportagem adicional de Stephanie Nebehay em Genebra

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up