for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Coronavírus arrisca anos de progresso em saúde nas Américas, diz diretora da OMS

Profissionais de saúde examinam paciente em São Paulo 02/07/2020 REUTERS/Amanda Perobelli

SÃO PAULO (Reuters) - O novo coronavírus está interrompendo programas de vacinação e atendimentos de outras doenças e pode acabar com anos de progresso em saúde nas Américas, afirmou nesta terça-feira a diretora regional da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Carissa Etienne, disse em uma entrevista semanal à imprensa que a pandemia está reduzindo o atendimento para condições crônicas, como diabetes, e doenças infecciosas, como HIV e tuberculose.

“Esses serviços estão seriamente paralisados ou, pior ainda, paralisados completamente”, declarou ela. “As Américas correm o risco de perder anos de ganhos em saúde em questão de meses.”

O fornecimento de medicamentos também é um problema, disse Etienne. Onze países das Américas têm menos de três meses de abastecimento de anti-retrovirais para HIV e outros estão com falta de medicamentos para tuberculose, segundo ela.

Etienne pediu aos governos que aumentem os gastos em saúde para pelo menos 6% do Produto Interno Bruto (PIB), dizendo que a média atual de 3,7% não é suficiente.

“Os países precisam se adaptar e se comprometer a fornecer simultaneamente esses serviços essenciais de atenção primária, ao mesmo tempo em que mitigam os efeitos da Covid-19”, disse ela. “Isto não é uma escolha.”

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up