for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Alemanha enfrenta crescimento do vírus com testes obrigatórios para viajantes

Viajante retornando da Ucrânia tem amostra coletada para teste de detecção da Covid-19 em Berlim 05/08/2020 REUTERS/Fabrizio Bensch

BERLIM (Reuters) - A Alemanha anunciou testes obrigatórios para pessoas retornando de regiões de alto risco de coronavírus, após o número de novos casos superar a marca de 1.000 por dia pela primeira vez desde maio, alimentando temores de um retorno a um lockdown que prejudicaria a economia.

O ministro da Saúde, Jens Spahn, disse, nesta quinta-feira, que testes obrigatórios e grátis seriam realizados a partir de sábado, depois de o Instituto Robert Koch, agência de saúde pública da Alemanha, relatar 1.045 novos casos em um único dia.

Parte do aumento se deve a mais testes sendo realizados, disse, mas o impacto do retorno de pessoas que viajaram em férias à Alemanha e de um enfraquecimento na disciplina do distanciamento social também foi significativo.

A Alemanha classifica quase todo o mundo fora da União Europeia como de alto risco, assim como algumas regiões dentro do bloco, incluindo Aragão, Catalunha e Navarro, na Espanha, e a província de Antuérpia, na Bélgica.

Os testes obrigatórios significam que os viajantes não precisarão fazer quarentena por duas semanas. Quem se recusar a fazer o teste pode receber uma multa de até 25 mil euros.

“Se alguém pensar que pode ser teimoso no aeroporto e lidar com a multa depois, não. Ele terá que fazer quarentena por duas semanas”, acrescentou Spahn.

Com a maior economia da Europa apenas começando a se recuperar de um lockdown quase total imposto em março, qualquer sinal de novas restrições desanimará investidores.

Spahn disse que acredita que um novo fechamento dos estabelecimentos provavelmente ainda pode ser evitado.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up