for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Charge australiana causa furor ao retratar Kamala Harris como "moreninha"

MELBOURNE (Reuters) - Uma charge publicada no maior jornal de circulação nacional da Austrália foi acusada de racismo nesta sexta-feira por mostrar o candidato presidencial democrata norte-americano Joe Biden descrevendo sua colega de chapa, Kamala Harris, como “esta moreninha”.

Biden e Kamala Harris dão entrevista coletiva 13/08/2020 REUTERS/Carlos Barria

O desenho de Johannes Leak publicado no The Australian, jornal de Rupert Murdoch conhecido por suas posturas conservadoras, retratou um Biden exultante dizendo que Harris, a primeira mulher negra na chapa de um grande partido nacional, ajudará a “curar uma nação dividida pelo racismo” enquanto ele vai “tirar um cochilo”.

“É ofensivo e racista”, opinou Andrew Giles, político trabalhista australiano de oposição, no Twitter.

O ex-procurador-geral Mark Dreyfus tuitou: “Se The Australian tem algum respeito pela decência e padrões, precisa se desculpar imediatamente, e nunca mais publicar charges como esta.”

Mas o editor-chefe do jornal, Christopher Dore, defendeu a charge, dizendo que Leak debochou das palavras do próprio Biden.

“As palavras ‘menininhas negras e morenas’ pertencem a Joe Biden, não a Johannes, e foram pronunciadas pelo candidato presidencial quando ele indicou Kamala Harris como sua colega de chapa ontem; ele as repetiu em um tuíte pouco depois”, escreveu Dore em uma nota à redação do jornal que foi fornecida à Reuters pela News Corp de Murdoch.

Biden tuitou na quinta-feira a respeito da escolha de Harris como sua candidata a vice-presidente: “Hoje de manhã, menininhas acordaram em toda a nação --especialmente menininhas negras e morenas que com tanta frequência podem se sentir ignoradas e subestimadas em nossa sociedade-- possivelmente vendo a si mesmas de uma nova maneira: como matéria-prima de presidentes e vice-presidentes”.

Dore disse: “A intenção do comentário de Johannes foi ridicularizar as políticas identitárias e rebaixar o racismo, não perpetuá-lo.”

Outra publicação de Murdoch na Austrália foi criticada em 2018 devido a uma charge que mostrou a tenista estelar Serena Williams tendo um ataque de nervos no Aberto dos Estados Unidos.

Fãs, celebridades e grupos de direitos civis classificaram a caricatura de racista, mas no ano passado a agência reguladora da mídia australiana determinou que a charge não foi racista.

(Por Sonali Paul)

Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702 REUTERS AC

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up