for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Maior protesto na Tailândia em anos pressiona o governo

BANGCOC (Reuters) - Mais de 10.000 manifestantes na Tailândia gritaram “abaixo a ditadura” e “o país pertence ao povo”, em Bangcoc, neste domingo, no maior protesto contra o governo desde o golpe de 2014.

Houve aplausos aos apelos dos estudantes para restringir os poderes da monarquia - que já foi um assunto tabu -, assim como exigências pela saída do ex-líder da junta, primeiro-ministro Prayuth Chan-ocha, uma nova Constituição e o fim da perseguição a ativistas de oposição.

Estudantes têm liderado protestos quase diariamente ao longo do último mês, mas a manifestação de domingo atraiu um público mais amplo no país do sudeste asiático, com décadas de protestos em sua história, pontuados por golpes militares.

“Queremos uma nova eleição e um novo parlamento ao povo”, diz ativista estudantil, Patsalawalee Tanakitwiboonpon, 24, à multidão. “Por fim, nosso sonho é ter uma monarquia que realmente esteja sujeita à constituição”.

Organizadores do movimento Povo Livre e a polícia disseram que houve mais de 10.000 pessoas no protesto.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up