for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Premiê do Japão deixa hospital após check-up em meio a temores com saúde

TÓQUIO (Reuters) - O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, passou por um check-up em um hospital nesta segunda-feira, disse uma fonte do governo em meio a temores manifestados por uma autoridade de alto escalão de que o premiê esteja sofrendo de exaustão devido ao enfrentamento da pandemia de coronavírus.

Premiê Shinzo Abe em entrevista na residência oficial 28/3/2020 REUTERS/Issei Kato

Abe, o premiê japonês há mais tempo no cargo, deixou o hospital após o exame, relatou a agência de notícias Jiji. Ele fez o check-up no Hospital Universidade de Keio, em Tóquio, disse a fonte a par da situação à Reuters.

O ministro da Saúde, Katsunobu Kato, um assessor próximo do premiê, disse que entendeu se tratar de um exame de rotina e não estar “nem um pouco” preocupado com a saúde de Abe.

“Tudo que sei é por reportagens da mídia. E entendo que foi noticiado como um exame de rotina”, disse Kato aos repórteres.

Abe faz exames de rotina duas vezes por ano, e o mais recente foi em 13 de junho, disse a agência de notícias Kyodo, citando uma fonte hospitalar ao acrescentar que a visita desta segunda-feira foi a sequência do check-up de junho.

O gabinete de Abe não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

A notícia vem na esteira dos comentários do final de semana de Akira Amari, presidente da comissão tributária do governista Partido Liberal Democrata, segundo o qual Abe, de 65 anos, pode estar sofrendo de exaustão por causa de seu trabalho contínuo na reação ao vírus.

“Quero que ele tire uma folga”, disse Amari em um programa de notícias da Fuji TV no domingo. “Ele tem um sentimento de responsabilidade muito forte e acha errado tirar uma folga.”

Abe, que iniciou seu segundo período como premiê em 2012, renunciou ao primeiro mandato em 2007 por causa de sua luta com uma colite ulcerosa, que hoje ele controla com medicamentos antes indisponíveis.

A mídia japonesa especulou sobre sua saúde neste mês, inclusive em reportagens detalhadas sobre a velocidade de seu passo. A revista semanal Flash disse que Abe vomitou sangue no escritório no dia 6 de julho. A Reuters não conseguiu confirmar a reportagem.

“Vejo o primeiro-ministro todos os dias, e acho que ele não tem problema (de saúde) nenhum, já que vem realizando suas tarefas tranquilamente”, disse o secretário-chefe de gabinete, Yoshihide Suga, em uma coletiva de imprensa de 5 de agosto ao responder perguntas na esteira da reportagem.

Abe cumpriu suas funções cotidianas nas últimas semanas e foi visto em público pela última vez no sábado em uma cerimônia pela derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial realizada em Tóquio.

Por Yoshifumi Takemoto, Kiyoshi Takenaka, Chris Gallagher, Antoni Slodkowski; reportagem adicional de Linda Sieg

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up