July 14, 2011 / 9:33 PM / 9 years ago

Nascimento de hispânicos já supera imigração nos EUA, diz estudo

PHOENIX (Reuters) - Pela primeira vez na história, os nascimentos superaram a imigração como principal fator por trás do expressivo crescimento da população hispânica nos Estados Unidos, segundo um estudo divulgado na quinta-feira.

A pesquisa do Centro Hispânico Pew concluiu que essa nova tendência é especialmente evidente entre os norte-americanos de origem mexicana, que representam quase dois terços da população latina nos EUA.

Analistas dizem que esse estudo indica que a população hispânica nos EUA continuará crescendo apesar dos esforços das autoridades para coibir a imigração ilegal, e que a tendência também deve resultar numa diversificação cultural e política da população latina.

O estudo, com base em dados do Censo e de outras fontes governamentais, indica que a população mexicano-americana cresceu 7,2 milhões de indivíduos por causa de nascimentos ocorridos entre 2000 e 2010, período em que 4,2 milhões de imigrantes chegaram do México.

Mark Lopez, diretor-associado do Centro Hispânico Pew e coautor do estudo, disse que na década de 1980 o crescimento era puxado pela imigração (3,1 milhões de recém-chegados, contra 2,7 milhões de nascidos nos EUA), enquanto nos anos 1990 houve uma paridade (4,7 milhões de imigrantes e de nascidos nos EUA).

Para Bruce Merrill, professor emérito de ciências políticas na Universidade Estadual do Arizona, a mudança apontada no estudo indica “o potencial da comunidade hispânica para se tornar mais diversificada internamente”.

Segundo ele, os hispânicos nascidos nos EUA tendem a ser mais conservadores do que os imigrantes. Em termos gerais, dois terços deles votaram em 2008 no candidato democrata, Barack Obama, contra o rival republicano John McCain.

“As pessoas que chegam, em comparação às pessoas que nascem aqui, tendem a ser um tipo diferente de pessoa politicamente”, disse Merrill, lembrando que hispânicos nascidos nos EUA também tendem a defender uma fiscalização mais rigorosa na fronteira com o México.

Os hispânicos são a maior minoria dos EUA - 50,5 milhões de pessoas em 2010, segundo o Departamento do Censo - e também a que mais cresce. Os mexicano-americanos totalizam 63 por cento do total de hispânicos.

Uma projeção anterior do Departamento do Censo estimou que até 2050 as minorias étnicas e raciais se tornarão maioria nos EUA, e que um em cada três moradores do país será de origem latina nessa época.

Reportagem de Tim Gaynor

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below