13 de Novembro de 2012 / às 21:53 / em 5 anos

Generais dos EUA deram ajuda a irmã de pivô de escândalo

WASHINGTON, 13 Nov (Reuters) - O ex-general e ex-diretor da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) David Petraeus e o comandante das forças dos Estados Unidos no Afeganistão, general John Allen, intervieram recentemente numa disputa judicial para ajudar a irmã gêmea de uma mulher da Flórida que se tornou o pivô de um escândalo sexual que envolve os dois, segundo documentos judiciais.

Combinação de fotos do ex-general e ex-diretor da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) David Petraeus e do comandante das forças dos Estados Unidos no Afeganistão, general John Allen. Petraeus e Allen intervieram recentemente numa disputa judicial para ajudar a irmã gêmea de uma mulher da Flórida que se tornou o pivô de um escândalo sexual que envolve os dois, segundo documentos judiciais. 21/01/2012 REUTERS/Kevin Lamarque/Yuri Gripas/Files

Petraeus e Allen escreveram cartas em setembro à Corte Superior do Distrito de Columbia manifestando apoio a Natalie Khawam, que pleiteava o direito de fazer mais visitas ao seu filho.

As cartas aprofundam o mistério sobre como duas socialites de Tampa (Flórida) desenvolveram um acesso tão imediato a dois militares de tão alta patente e geram dúvidas sobre a natureza específica desses relacionamentos.

Funcionários do Departamento de Defesa haviam dito nesta terça-feira que Allen está sob investigação por manter comunicações inapropriadas com a irmã de Khawam, Jill Kelley, que atuava como voluntária em serviços sociais para as Forças Armadas.

Autoridades dizem estar vasculhando milhares de páginas de emails e outras comunicações entre Allen e Kelley.

O escândalo começou quando Kelley se queixou de estar recebendo emails intimidatórios de uma mulher chamada Paula Broadwell. Uma investigação do FBI acabou revelando que Broadwell era amante de Petraeus, que na sexta-feira passada renunciou à direção da CIA.

Em sua carta de 20 de setembro ao tribunal, Petraeus disse que conhece Khawam há três anos, desde a época em que trabalhava na Flórida, por causa da amizade que ele e sua mulher, Holly, tinham com Jill Kelley e com o marido dela, o cirurgião Scott Kelley.

Petraeus disse ter observado Khawam com seu filho durante esse período, inclusive numa ceia natalina oferecida pelo casal Petraeus. “Em todas as ocasiões, vi uma relação muito amorosa, uma mãe se empenhando em oferecer ao filho experiências agradáveis, educativas e propícias ao desenvolvimento”, escreveu o ex-general.

Na sua carta de 22 de setembro, Allen diz que ele e sua mulher, Kathy, conheceram Khawam durante atividades sociais, na época em que ele trabalhava no Comando Central das Forças Armadas, com sede em Tampa. “Ela é uma mãe dedicada, cujo único foco é oferecer apoio, amor e carinho necessários para o seu filho”, escreveu Allen.

Khawam foi casada com Grayson Wolfe, ex-funcionário do governo Bush que esteve envolvido com atividades no Oriente Médio e com os esforços de reconstrução do Iraque. Wolfe não pôde ser imediatamente localizado para comentar.

O conteúdo das cartas foi divulgado pelo jornal The New York Post.

Reportagem de David Ingram e Aruna Viswanatha, em Washington

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below