21 de Janeiro de 2013 / às 15:48 / em 5 anos

Fracassa negociação de oposição síria para formar governo de transição

Por Khaled Yacoub Oweis

ISTAMBUL, 21 Jan (Reuters) - Líderes da oposição síria disseram nesta segunda-feira que não conseguiram chegar a um acordo sobre um governo de transição para governar áreas controladas pelos rebeldes, em um novo golpe nos seus esforços para apresentar uma alternativa ao regime do presidente Bashar al-Assad.

A Coalizão Nacional Síria (CNS) disse em um comunicado que um comitê de cinco membros iria apresentar propostas sobre a formação de um governo dentro de 10 dias, depois que as conversas em um hotel de Istambul terminaram sem um acordo sobre um primeiro-ministro interino.

A formação de um governo é vista como uma ameaça para alguns membros da CNS, especialmente a Irmandade Muçulmana, que perderia influência se um corpo executivo menor for eleito.

As negociações de Istambul, a segunda tentativa da oposição para formar um governo, só destacaram as divisões na coalizão e correm o risco de minar o apoio para o grupo formado há dois meses no Catar com apoio ocidental e do Golfo.

Lutas de poder dentro da coalizão de 70 membros têm minado os esforços para chegar a um acordo sobre um governo de transição.

“Este é um grande golpe para a revolução contra Bashar al-Assad”, disse um líder da oposição síria que participou da reunião, mas que não quer ser identificado porque opera escondido na Síria.

Ele disse que metade da CNS se opôs à ideia de um governo de transição por completo, mesmo depois que o grupo abandonou uma estipulação prévia de que os membros da coalizão não teriam permissão para servir no governo.

A coalizão, dominada por islâmicos e seus aliados, disse na declaração que a sua comissão de cinco membros iria consultar as forças de oposição, o Exército Sírio Livre e países amigáveis sobre os compromissos políticos e financeiros necessários para fazer um governo viável.

REBELDES INDISCIPLINADOS

Fontes ligadas às negociações disseram no domingo que o presidente da CNS, Moaz Alkhatib, tinha voado para o Catar para garantir promessas de ajuda financeira para um governo de transição em áreas controladas pelos rebeldes.

Alkhatib, um pregador de Damasco moderado, está no comitê junto com o empresário Mustafa al-Sabbagh, que é próximo do Catar, e com a figura tribal Ahmad Jarba, que tem boas relações com a potência regional Arábia Saudita.

Rebeldes tomaram grandes áreas da Síria do controle das forças de Assad, mas o fracasso da oposição em prestar serviços básicos, crescentes relatos de indisciplina e saques por combatentes rebeldes têm minado o apoio público para sua causa.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below