26 de Fevereiro de 2013 / às 21:59 / em 5 anos

Maioria dos venezuelanos acredita na recuperação de Chávez, diz pesquisa

Por Mario Naranjo

CARACAS, 26 Fev (Reuters) - A maioria dos venezuelanos acredita que o presidente Hugo Chávez vai se recuperar do câncer e voltar a ter papel ativo no governo, disse uma pesquisa nesta terça-feira, embora ele esteja hospitalizado e praticamente não seja visto há dois meses e meio.

Segundo o instituto Hinterlaces, 60 por cento dos seus entrevistados acham que Chávez vai se curar e voltará a governar; 14 por cento acham que ele vai se recuperar, mas não terá condições de retomar o poder; e 12 por cento acham que seu estado é incurável.

Chávez, de 58 anos, se submeteu em 11 de dezembro à quarta operação contra um câncer, em Cuba, e na semana passada voltou à Venezuela, onde se internou num hospital militar de Caracas.

Exceto por quatro fotos dele em Havana, o presidente socialista não foi visto nem ouvido em público, e mesmo seu amigo e aliado Evo Morales, presidente da Bolívia, não pôde entrar no quarto dele ao fazer visitas a Caracas.

A visão surpreendentemente otimista da opinião pública venezuelana contrasta com o consenso mais pessimista entre analistas e diplomatas de que o governo de Chávez pode estar chegando ao fim, 14 anos depois da sua ascensão ao poder.

“Longe de enfraquecer o chavismo, longe de reduzir o apoio popular ao presidente Chávez, sua ausência e sua doença surpreenderam os vínculos de afeto e identificação com os ideais do presidente”, disse o diretor da entidade, Oscar Schemel.

Resultados previamente divulgados da mesma pesquisa mostravam que, se Chávez precisar deixar o poder, seu vice-presidente e sucessor nomeado, Nicolás Maduro, é favorito para vencer um possível confronto eleitoral contra o líder oposicionista Henrique Capriles, por 50 x 36 por cento das intenções de voto.

O líder oposicionista acusa publicamente o Hinterlaces de ser pró-governo, e as pesquisas de opinião na Venezuela são notoriamente polêmicas e divergentes.

A pesquisa também mostrou que 60 por cento consideraram ruim a desvalorização do bolívar decretada neste mês, mas o governo teve uma boa avaliação em suas políticas sociais e capacidade de melhorar a vida das pessoas.

O governo não divulga detalhes sobre o estado de saúde de Chávez, mas nesta terça-feira o chanceler Elías Jaua disse que os venezuelanos precisam “ser pacientes para esperá-lo, entendê-lo e acompanhá-lo nessa batalha pela vida”.

“Não podemos sucumbir à chantagem da direita -e à sua crueldade e desumanidade- que clama para que o presidente apareça, intervenha, tome posse imediatamente.”

Chávez faltou à cerimônia de posse para um novo mandato de seis anos, em janeiro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below